Guia Porão do Rock 2016. Tudo o que você precisa saber antes de ir para o Festival

por Leonardo Machado 1.889 views0

A 19ª edição do Festival Porão do Rock será realizada neste sábado (29) no Estacionamento do Estádio Nacional Mané Garrincha reunindo 28 atrações em três palcos.

Os portões serão abertos às 15h e o primeiro show, no Palco 1, terá início às 15h30. O evento terá um total de 12 horas de duração e ainda contará com:

  • Praça de alimentação/food trucks;
  • Praça de esportes radicais;
  • Loja com produtos oficiais;
  • Camarote lateral (com acesso à frente dos palcos);
  • Stand Porão Sustentável  e;
  • Stand Rodas da Paz (para quem for de bicicleta).
Palcos e Programação

Como nos anos anteriores, os palcos 1 e 2 estarão dispostos lado a lado – ao terminar o show de um começa o do seguinte.

Já o Palco 3, destinado às bandas de rock pesado, ficará posicionado atrás dos outros dois, com programação independente.

Veja abaixo a ordem dos shows:

 PALCO 1 (início: 15h30)  PALCO 2 (início: 16h)  PALCO 3 – Pesado (início: 15h40)
15h30 – My Last Bike (DF)
16h30 – Joe Silhueta (DF)
17h30 – Zamaster (DF)
18h55 – Emicida (SP)
20h35 – Far From Alaska (RN)
22h30 – Trampa (DF)
23h55 – Ira! (SP)
1h35 – Almirante Shiva (DF)
16h – Os Gatunos (DF)
17h – Nafandus (CE)
18h05 – Supla (SP)
20h – Passo Largo (DF)
21h25 – Nação Zumbi (PE)
23h05 – Boogarins (GO)
1h – Darshan (DF)
2h10 – Planet Hemp (RJ)
15h40 – Peso Morto (DF)
16h20 – Quilombo (DF)
17h – As Verdades de Anabela (DF)
17h40 – Zumbis do Espaço (SP)
18h40 – Os Til (DF)
19h30 – Vodoopriest (SP)
20h30 – Miasthenia (DF)
21h20 – Hibria (RS)
22h25 – Oitão (SP)
23h30 – Worst (SP)
0h30 – Lost in Hate (DF)
1h20 – Project 46 (SP)
Mapa

mapaatualizado

Ingressos “PORÃO PARA TODOS”
  • Pista: Meia R$ 20 (pista) + 1kg de alimento não-perecível (exceto sal e fubá)* – Inteira R$40,00
  • Camarote: Meia R$ 60,00 + 1kg de alimento não-perecível (exceto sal e fubá)* – Inteira R$120,00.
  • Quem for de bicicleta (qualquer horário): R$ 15 na bilheteria + 1kg de alimento não-perecível (exceto sal e fubá)*

(*) O alimento deverá ser entregue somente na portaria e na hora do festival.

Pontos de venda
  • Online: Bilheteria Digital (www.bilheteriadigital.com/porao-do-rock-01-de-outubro)
  • Abriu pro Rock (Gama Shopping, Shopping Sul Valparaíso e Pátio Brasil)
  • Bilheteria Digital (Pátio Brasil, Brasília Shopping, Boulevard Shopping, Liberty Mall e Alameda Shopping)
  • Chilli Beans (ParkShopping, Taguatinga Shopping e Conjunto Nacional)
  • Overstreet (Conic e Gilberto Salomão)
Classificação:
  • 16 Anos: Menores de 16 anos somente acompanhados por pais ou responsáveis maiores de 18 anos.

Festival Porão do Rock 2016

 Porão Sustentável

Conheça cada uma das 28 atrações do Porão do Rock 2016

ALMIRANTE SHIVA (DF)

O power trio brasiliense Almirante Shiva é formado por jovens veteranos. O baixista Pedro Souto e o baterista Marlon Tugdual tocavam juntos na banda Cassino Supernova. Pedro também acompanha diversas outras bandas brasilienses e Marlon foi baterista da Sexy Fi. Carlos Beleza é guitarrista nas bandas Judas e Joe Silhueta, entre outras. A banda se juntou há dois anos com o intuito de fazer rock’n’roll psicodélico, com influências da “fritação” sessentista e do peso setentista. De lá para cá, eles emplacaram uma agenda repleta de shows, sempre com apresentações explosivas, entre elas, no próprio Porão do Rock 2015 – depois de vencerem uma das seletivas e onde causaram ótima impressão, resultando em convite para tocar na edição 2016 do festival. Os dois EPs da banda podem ser ouvidos em soundcloud.com/almiranteshiva.

Mais informações: www.facebook.com/almiranteshiva

 

AS VERDADES DE ANABELA (DF)

Vencedora da terceira e última Seletiva DF, realizada no Bar Skina Hall (Núcleo Bandeirante), a brasiliense As Verdades de Anabela é da cidade do Gama e pratica um metal/post hardcore com influências de bandas de diversos gêneros e estilos dentro do próprio rock e letras de superação, sonhos, respeito, amizade e amor. Sua formação conta com Victor Castamere (voz), Zeck Carvalho (guitarra e voz), Wellington Novaes (guitarra), Yuri Emidio (sintetizadores e voz), Fabio Alexandre (baixo) e José André (bateria). Conquistou o primeiro e segundo lugares no Festival da Canção Estudantil do Gama (2012 e 2013) e o Prêmio Profissional da Música 2016 (categoria Metal/Hardcore). Toca pela primeira vez no Porão do Rock.

Mais informações: www.facebook.com/AsVerdadesdeAnabela

 

BOOGARINS (GO)

Banda goiana de rock psicodélico, a Boogarins foi formada em 2012 pelos amigos Fernando “Dinho” Almeida (voz e guitarra) e Benke Ferraz (guitarra). Completam o quarteto Raphael Vaz (baixo) e Ynaiã Benthroldo (bateria, ex-Macaco Bong-MT). A performance de palco aliada à repercussão do EP “As plantas que curam” (2013) catapultaram a banda para turnês pelo Brasil e exterior – já fez mais de 70 shows na Europa, Estados Unidos e América Latina, passando por festivais como “South by Southwest” (EUA) e “Primavera Sound” (Espanha). Em 2015, tocou no festival “Lollapalooza”, em São Paulo, e participou também da “Virada Cultural”. Depois dessa longa turnê, gravou o segundo disco, “Manual – ou Guia livre de dissolução dos sonhos”. O álbum foi lançado em CD, vinil e em plataformas digitais em todo o mundo. Em 2016, a participou do “Rock in Rio Lisboa”. Toca pela primeira vez no Porão do Rock.

Mais informações: www.facebook.com/boogarinsmusic

 

DARSHAN (DF)

Fundada em 2005 na cidade de Sobradinho, a banda Darshan consolidou sua formação dois anos depois e logo começou a tocar pelo Distrito Federal. Graças a uma apresentação enérgica e a um repertório poderoso, em pouco tempo o quarteto – cujo nome quer dizer “poder de visão” em sânscrito – foi conquistando público e ganhando destaque em festivais como o Porão do Rock. Também chamou a atenção da gravadora goiana Monstros Discos que, em dezembro de 2013, lançou “Descontrole”, o disco de estreia. O grupo é formado por Oliver Alexandre (voz e guitarra), Thuyan Santiago (guitarra e voz), João Paulo Berger (baixo) e Arnoldo Ravizzini (bateria). O som remete aos principais nomes do grunge. As harmonias de voz e as guitarras dobradas evocam Alice in Chains, enquanto a fúria dos vocais remete ao Nirvana. No entanto, as músicas soam inequivocamente como Darshan. As letras, em português melódico e bem cantado, são diretas e simples, mas com significado, falam sobre sentimentos intimistas, sobre desafios e conquistas. Tocarão pela terceira vez no Porão do Rock (2010 e 2012).

Mais informações: www.facebook.com/bandadarshan

 

EMICIDA (SP)

Um dos principais nomes do rap brasileiro na atualidade, o paulistano Leandro Roque de Oliveira, o Emicida, consagrou-se pela habilidade nas rimas – seu nome artístico é uma fusão de “MC” e “homicida”, por conta das inúmeras batalhas de improviso na qual “eliminava” os adversários – e pela consciência social de suas letras, que podem ser conferidas em seus singles, EPs e nos álbuns “O glorioso retorno de quem nunca esteve aqui” (2013) e “Sobre crianças, quadris, pesadelos e lições de casa…” (2015). Emicida também se notabilizou por tocar sua carreira de maneira independente e por fazer de suas aparições públicas e entrevistas oportunidades para debates inteligentes e provocativos. Participa pela primeira vez do Porão do Rock.

Mais informações: www.facebook.com/EmicidaOficial

 

FAR FROM ALASKA (RN)

Banda da cidade de Natal surgida em 2012, formada por Emmily Barreto (voz), Cris Botarelli (synth, lap steel e voz), Edu Filgueira (baixo), Rafael Brasil (guitarra) e Lauro Kirsch (bateria), a Far From Alaska conseguiu em pouco tempo tocar no principal festival da capital potiguar (“Do Sol”), num dos principais do Brasil (“Planeta Terra”) e ainda teve o disco de estreia lançado por um selo de porte (Deck Disc). O álbum “modeHuman” saiu em 2014 e apresenta 15 faixas que congregam guitarras e sintetizadores, numa sonoridade que ecoa referências como The Kills e The Dead Weather. Recentemente, o grupo esteve no “Midem”, importante evento da indústria fonográfica, realizado anualmente na cidade de Cannes (França) e recebeu o prêmio We Are The Future, entregue a eles como banda revelação escolhida entre candidatos de vários países. Toca pela segunda vez no Porão do Rock (2014).

Mais informações: www.farfromalaska.com

 

HIBRIA (RS)

Em 2016, a banda Hibria, natural da cidade de Porto Alegre, completa 20 anos de história. Ao longo dessa trajetória, o quinteto consagrou-se como uma bem-sucedida banda de heavy metal, tendo colecionado admiradores entre público e mídia especializada no Brasil e no exterior. Apresentou-se em países como Japão, Canadá, Alemanha, Holanda, Bélgica, Polônia, República Tcheca, China, Coréia do Sul e Taiwan. No currículo estão abertura de shows de grandes nomes do som pesado, como Metallica, Black Sabbath, Ozzy Osbourne e Megadeth. Em agosto, fez turnê nos Estados Unidos e no Canadá, divulgando o disco “Hibria”, lançado em 2015, o quinto da discografia, depois de “Silent revenge” (2013), “Blind ride” (2011), “The skull collectors” (2008) e a estreia, “Defying the rules” (2004) – trabalhos nos quais mostram uma roupagem renovada para o heavy metal com influências de speed, thrash e prog metal. Para comemorar as duas décadas de carreira, o grupo formado por Iuri Sanson (voz) Abel Camargo (guitarra), Renato Osorio (guitarra), Ivan Beck (baixo) e Eduardo Baldo (bateria) promete um novo EP, videoclipe e ainda a gravação de um documentário contando sua história. Toca pela segunda vez no Porão do Rock (2011).

Mais informações: www.hibria.com

 

IRA! (SP)

A banda paulistana Ira! participa pela primeira vez do Porão do Rock com um show especial, comemorando os 30 anos de seu segundo álbum, “Vivendo e não aprendendo”. Lançado em 1986, o disco emplacou sucessos como “Envelheço na cidade”, “Dias de luta” e “Flores em você” – além de conter, encerrando o lado B do LP, versões ao vivo de seus primeiros hits, “Gritos na multidão” e “Pobre paulista”. Formado há 35 anos, o Ira! é uma das mais populares bandas brasileiras surgidas nos anos 1980 e tem na bagagem 11 discos de estúdio e três ao vivo. Influenciado inicialmente por punk, pós-punk e mod revival, o grupo mostrou, ao longo da carreira, diversas outras referências sonoras, como hard rock, psicodelia e até hip hop, tendo sido um dos pioneiros no Brasil no uso de samplers e scratchs. O “núcleo base” sempre foi o guitarrista e compositor Edgard Scandurra e o vocalista Marcos “Nasi” Valadão que, ainda hoje, continuam à frente da banda. Conflitos internos causaram um racha no Ira! em 2007, até que em 2014 o grupo anunciou seu retorno. A formação atual conta ainda com Daniel Scandurra (filho de Edgard) no baixo, Evaristo Pádua na bateria e Johnny Boy nos teclados e segunda guitarra. Além das 10 faixas de “Vivendo e não aprendendo”, o Ira! também mostrará outros sucessos no Porão do Rock.

Mais informações: www.iraoficial.com

 

JOE SILHUETA (DF)

Alcunha musical do compositor brasiliense Guilherme Cobelo, Joe Silhueta tem se destacado no cenário local com composições que bebem do rock e do folk norte-americano e da música nordestina de nomes como Elomar, Zé Ramalho e Alceu Valença. A mistura de referências e a sensibilidade lírica do cantor-compositor podem ser conferidos, em versão acústica, de arranjos minimalistas, no EP “Dylanescas”, lançado em 2016. Ao vivo, Joe Silhueta é acompanhado por um super time de músicos: a vocalista Gaivota Naves e o tecladista Tarso Jones são integrantes da banda Rio Voadores; o baterista Marlon Tugdual e o guitarrista Carlos Beleza integram o trio Almirante Shiva; o baixista Kelton Gomes tem carreira solo; e o acordeonista e flautista Lucas Muniz faz parte do Satanique Samba Trio. Foi com essa formação e uma apresentação arrebatadora que Joe Silhueta se consagrou como a banda mais votada pelo público e pelos jurados na primeira seletiva do Porão do Rock 2016 realizada na Praça dos Três Poderes.

Mais informações: www.facebook.com/ojoesilhueta

 

LOST IN HATE (DF)

Criada em 2007 na cidade de Taguatinga, a banda Lost in Hate logo conquistou espaço no cenário underground com seu metal/hardcore poderoso e letras engajadas ao estilo de vida straight edge. Por conta de seu show intenso, o quinteto – atualmente formado por Guigows (voz), Fábio Alexandre (baixo), Raphael Kenji (guitarra), Wellington Mota (guitarra) e Bruno Duarte (bateria) – tocou em diversos eventos no Distrito Federal, no Brasil e também em seis países da América Latina. A discografia conta com o EP “Disciplina e honra” (2009) e os álbuns “Cultura da autodestruição” (2012) e “Contra tudo e contra todos” (2015). O material mais recente é o EP virtual “Memories on the wall” (2016), que contém quatro músicas e apresenta a banda em um novo momento. Os vocais continuam viscerais e os riffs cortantes. O peso também permanece. Mas o Lost in Hate surge mais melódico e agora com músicas cantadas em inglês. A faixa “Strong walls” ganhou videoclipe dirigido por Luringa e conta com a participação de Elliot Reis, da banda Glória. Toca pela segunda vez no Porão do Rock (2010).

Mais informações: www.facebook.com/lostinhateofficial

 

MIASTHENIA (DF)

A banda brasiliense Miasthenia toca extreme pagan metal com letras em português e temáticas que envolvem mitologia pré-colombiana, guerras de conquista da América e resistência indígena. Surgida em 1994, atualmente é um trio composto por Susane Hécate (voz e teclado), Thormianak (guitarra e baixo) e V. Digger (bateria). A discografia conta com os álbuns “XVI” (2000), “Batalha ritual” (2004), “Supremacia ancestral” (2008) e “Legados do Inframundo” (2014). A repercussão deste último trabalho proporcionou seu posterior relançamento, com letras cantadas em inglês, pelo selo francês Drakkar Productions. Além do DVD “O ritual da rebelião”, a banda conta com mais dois registros audiovisuais, os videoclipes de “Entronizados na morte” (2013) e “13 Ahau Katún” (2014). Atualmente, trabalha nas composições de seu quinto álbum. Toca pela primeira vez no Porão do Rock.

Mais informações: www.facebook.com/miasthenia

 

MY LAST BIKE (DF)

My Last Bike surgiu em 2010 a partir da reunião de uma galera que sempre curtiu muito punk rock e hardcore californiano. Desde a sua estreia, a banda brasiliense tocou em praticamente todo o Distrito Federal, além de São Paulo e Minas Gerais. Abriu shows de bandas como Zander e Dead Fish e este ano foi selecionada para tocar pela primeira vez no Porão do Rock a partir da última Seletiva DF, realizada no Skina Hall (11 de setembro). Fundada por Jonh (bateria), conta ainda com Bruno (voz), Formiga (baixo) e Leandro (guitarra). Em 2013 lançou o primeiro trabalho, “Ainda não terminamos de pagar este CD”. E em 2015, o EP “Resiliente”. Com letras que tratam de temas diversos, melodias marcantes e uma pegada sagaz, entrega muita energia em seus shows e prepara um novo disco para ser lançado em breve.

Mais informações: www.mylastbike.com.br

 

NAÇÃO ZUMBI (PE)

Formada atualmente por Jorge Du Peixe (voz e sampler), Lúcio Maia (guitarra), Alexandre Dengue (baixo), Pupillo (bateria), Toca Ogan (percussão), Gustavo Da Lua (percussão) e Tom Rocha (percussão), a banda pernambucana Nação Zumbi foi formada em Recife em 1991 e conta com oito álbuns. Em 2016, volta ao Porão do Rock – onde já se apresentou em 2003, 2007 e 2014 – para um show especial, no qual vai interpretar na íntegra o álbum “Afrociberdelia”. Lançado em 1996, o segundo disco da banda – na época, ainda com Chico Science (1966-1997) como vocalista e principal mentor – expandiu o conceito sonoro do grupo: à percussão do maracatu, ao funk e ao rock foi adicionada uma dose maior de hip hop, com o uso de samplers e o natural amadurecimento de músicos em plena ebulição criativa. Além disso, o disco (produzido pela banda ao lado de Eduardo BiD) registou com maior fidelidade os tambores que tanto caracterizam o som do grupo. “Afrociberdelia” emplacou sucessos como “Macô”, “Manguetown” e a versão para “Maracatu atômico” (de Jorge Mautner e Nelson Jacobina). No palco, a omemoração será dupla: a Nação celebrará os 20 anos de “Afrociberdelia” e a memória de Chico Science, que completaria 50 anos em 2016.

Mais informações: www.nacaozumbi.com.br

 

NAFANDUS (CE)

Nafandus é uma banda cearense de rock alternativo/stoner com influências que vão do rock’n’roll ao progressivo. Após longo período de divulgação do EP “Nafandus” em festivais como “Dragão do Metal”, “Cuca Independente”, “ForCaos”, “Rock Cordel”, “Grito Rock” e “Festival da Juventude”, entre outros no Ceará, o projeto passou por reformulação musical. Uma mudança que influenciou no conceito de seu novo trabalho, “Unbreakable”, que retrata a realidade do músico independente tendo como foco a luta constante do artista cearense para ter seu trabalho reconhecido. O disco tem previsão de lançamento para o segundo semestre de 2016. O quinteto conta com Claudine Albuquerque (voz), Lucas Santiago e Lucas Rodrigues (guitarras), Lucas Ravel (baixo) e Tiago Skilo (bateria). Vencedor da Seletiva realizada em Fortaleza (bar Let´s Go), toca pela primeira vez no Porão do Rock.

Mais informações: www.facebook.com/Nafandus

 

OITÃO (SP)

Praticante do hardcore/crossover/metal – com influências que passam por Ratos de Porão e Sepultura e pela escola nova-iorquina do estilo –, a banda paulistana Oitão vem ganhando destaque no underground brasileiro desde seu surgimento, em 2008, por conta das performances vigorosas e da boa aceitação de seus dois petardos, os álbuns “4º Mundo” (2009) e “Pobre povo” (2015). As letras abordam as mazelas e o caos cotidiano e são interpretadas de maneira furiosa pelo vocalista (e renomado chef de cozinha) Henrique Fogaça. Completam o quarteto, o baixista Ed Chavez, o baterista Marcelo BA e o guitarrista Ciero. Apresenta-se pela primeira vez no Porão do Rock.

Mais informações: www.oitao.com.br

 

OS GATUNOS (DF)

Trio de surf music instrumental, a banda brasiliense Os Gatunos começou tocando versões para o que eles chamam de “música popular brasileira de boteco”, ou seja, hits que todo mundo ouviu algum dia na caixa de som do barzinho – de Lulu Santos a Leandro e Leonardo, passando por Paralamas do Sucesso e Dorival Caymmi. Com o tempo, o guitarrista Fabrício Paçoca, o baixista Felipe Rodriguez e o baterista Marcelo Melo desenvolveram repertório autoral – que pode ser conferido no recém-lançado “Os Gatunos vão à praia” (2016), disco que conta uma versão para “Aquela”, da banda brasiliense Little Quail, e nove composições próprias – que vão do surf rock clássico ao estilo Ventures, passam pelo surf punk e chegam na guitarrada do Pará. Foi a segunda banda mais votada da primeira da seletiva do Porão do Rock 2016 realizada na Praça dos Três Poderes.

Mais informações: www.facebook.com/osgatunos

 

OS~ (OS TIL) (DF)

Incentivado por Claudio Bareta, ex-empresário do Detrito Federal e atual dono de estúdio, o vocalista Telo (ex-Filhos de Mengele e parceiro dos Raimundos em início de carreira) montou com ele e o baixista Canisso, no fim de 2009, a banda Os~ (Os Til). Canisso não pode continuar devido a compromissos com os Raimundos, mas Telo e Claudinho seguiram em frente apoiado por músicos convidados – atualmente, Henry (bateria, também do AB/CD – tributo a AC/DC), Carlos Beleza (guitarra, do Almirante Shiva) e Steeve (baixo, do Marssal). A banda já foi terceira colocada no festival “Canta Ceilândia” em 2012 e está finalizando o primeiro CD, que será mixado na Califórnia por Billy Gould, baixista do Faith No More, e conta com as participações de integrantes e ex-integrantes dos Raimundos – Digão, Canisso e o baterista Fred. Aproveitará o Porão do Rock, inclusive, para dar início a um crowdfundingcom o objetivo de arrecadar fundos para o trabalho. Toca pela primeira vez no festival.

Mais informações: www.facebook.com/uniaoostil

 

PASSO LARGO (DF)

Integrada por músicos de reconhecida trajetória no som instrumental, a banda brasiliense Passo Largo – Marcus Moraes (guitarra), Vavá Afiouni (baixo) e Thiago Cunha (bateria) – trabalha o rock’n roll em diversas vertentes. Ritmos como ska, rock clássico, metal, gipsy jazz, bluegrass, hard rock e progressivo, dentre os brasileirismos naturalmente presentes em sua genética, são fundidos nos arranjos do power trio, reiterando a originalidade das canções. Com cinco anos, e consolidando-se no universo do rock/jazz, participou de importantes festivais do Brasil como Porão do Rock (DF), Clipes & Bandas (SP), Universo Paralello (BA), Goiânia Noise (GO), Carnaval de Olinda (PE), Feira da Música de Fortaleza (CE) e Satélite 061 (DF), entre outros. Após estrear em 2012 com disco homônimo, lançou em 2016 o segundo trabalho, “Férias em Nibiru”, que segue os passos do primeiro no que diz respeito à sofisticação dos arranjos e seu flerte com o virtuosismo. Toca pela segunda vez no Porão do Rock (2012).

Mais informações: www.passolargo.com

 

PESO MORTO (DF)

Inicialmente se apresentando como Red Soil, ainda com letras em inglês, durante o período de 2010 a 2012, a banda brasiliense Peso Morto foi criada a partir dos remanescentes da antiga formação que, com a entrada dos novos integrantes, sentiu a necessidade de se redefinir, mudando assim de estilo, nome e influências. Hoje, com quase quatro anos de existência, o quinteto canta em português e faz um crossover que une o peso e a velocidade instrumental do thrash metal com as temáticas introspectivas, fúnebres e sociais das composições do death metal. Sua formação conta com Paulo Lima (voz), Ricardo Thomaz e Alu Pedrotti (guitarras), Rennan Moura (baixo) e João Paulo Souza (bateria). Já foi destaque em festivais locais como “Carnarock”, “Capital Rock Fest”, “Headbangers Attack”, “Blood Strangers,” “Seletiva Marreco´s Fest”, “Extreme Metal Atack” e “Festival Fuleragem”. Em 2016 lançou o primeiro EP com download gratuito e está trabalhando na produção de seu primeiro álbum cheio. Toca pela primeira vez no Porão do Rock após garantir classificação na última Seletiva DF, realizada no Skina Hall (11/9).

Mais informações: www.pesomorto.com.br

 

PLANET HEMP (RJ)

Adivinha, doutor, quem estará pela primeira vez no Porão do Rock?! Planet Hemp!!! Desde 2001, a banda carioca , criada em 1993, protagonizou diversas idas e vindas, tanto para shows comemorativos quanto para turnês. Entretanto, o retorno mais recente do grupo, anunciado em dezembro de 2015, foi anunciado como uma volta definitiva, com pretensões, inclusive, de novas músicas e possibilidade de um novo álbum. Com uma performance explosiva, atitude provocativa e um discurso afiado, tendo o rap e o rock como influências – ou, como define a banda, “raprockandrollpsicodeliahardcoreragga” – o Planet Hemp lançou três discos de estúdio – “Usuário” (1995), “Os cães ladram mas a caravana não para” (1997) e “A invasão do sagaz homem fumaça” (2000) – e dois ao vivo. Nas letras dos vocalistas Marcelo D2 e BNegão aparecem relatos de vivências urbanas, da violência e das injustiças sociais – além, é claro, da questão da legalização da maconha. Junto de BNegão e D2 estão na formação atual os músicos Formigão (baixo), Pedro Garcia (bateria) e Nobru Pederneiras (guitarra).

Mais informações: www.facebook.com/oficial.planethemp

 

PROJECT 46 (SP)

Formado em 2008 na cidade de São Paulo por Caio MacBeserra (voz), Jean Patton (guitarra), Vinicius Castellari (guitarra), Rafael Yamada (baixo e voz), Henrique Pucci (bateria), o Project 46 é uma banda de metal/hardcore. Seu primeiro registro foi o EP de 4 músicas “If you want your survival sign wake up tomorrow”. Depois de mais de 30 shows divulgando este material, entre 2009 e 2010, o grupo gravou seu primeiro álbum, “Doa a quem doer”, com todas as letras – cujo conteúdo aborda angústias pessoas e problemas sociais – em português. A qualidade das gravações, as letras ácidas e a fúria sonora do grupo (que remete a nomes como Slayer e As I Lay Dying) chamaram a atenção de muita gente e rendeu vários frutos. Em 2012, participou do megafestival “Maquinaria Fest”, no Chile. No ano passado, foi selecionado para tocar no festival “Monsters of Rock Brasil”, em São Paulo. Em abril de 2014, o quinteto lançou o segundo álbum, “Que seja feita a nossa vontade”, pela Wikimetal Music. Apresenta-se pela segunda vez no Porão do Rock (2014).

Mais informações: www.project46.com.br

 

QUILOMBO (DF)

Quinteto de crossover thrash/hardcore formado em 2011 na cidade de Sobradinho, o Quilombo conta com Diogo “Sick” Bento (voz), Santiago Jr. (bateria), Henrique Sampaio (guitarra), Leandro Godoy (baixo) e, a partir de 2016, Thuyan Santiago (guitarra e backing vocal, também do Darshan), que se tornou produtor da banda. Com mensagens fortes e impactantes e letras em português, gravou em 2013 o CD-demo “Vingança” com três músicas. Em 2016 lançou seu primeiro EP “A Mídia Cria o Dia”, pela Bule Records, com produção de Thuyan Santiago e Alisson Vaz. Foi a banda vencedora na segunda seletiva do Porão do Rock 2016, realizada no bar Pancho Villa (Sobradinho), e toca pela primeira vez no festival.

Mais informações: www.facebook.com/bandaquilombo

 

SUPLA (SP)

O “Papito”, o “Charada Brasileiro”, o vocalista do Tokyo, o filho da Marta e do Eduardo, o irmão do João, o Eduardo Smith de Vasconcelos Suplicy ou, simplesmente, o Supla! Um dos roqueiros mais populares – e midiáticos – do Brasil, o cantor, apresentador e ator paulistano de 50 anos volta ao Porão do Rock – no qual se apresentou em 2014 com a dupla Brothers of Brazil e, em carreira solo, em 2004 e 2005 – para comemorar 30 anos de carreira e apresentar novidades, como o single virtual “Amor entre dois diferentes”, lançado em 2016, e o futuro novo álbum solo, “Diga o que você pensa”, que sairá em breve. Em sua discografia soma sete trabalhos solo, quatro com o Brothers of Brazil e dois com o Tokyo.

Mais informações: www.supla.com.br

 

TRAMPA (DF)

Na ativa desde 2006, a banda brasiliense Trampa é composta por André Noblat (voz), Pedrinho “Bap” Cardoso (baixo), Rafael Maranhão (guitarra), Arnoldo Ravizzini (bateria) e Rodrigo Vegetal (guitarra). O quinteto toca rock de guitarras pesadas e letras contestadoras que abordam sentimentos do cotidiano que vão do caos à esperança, do êxtase à revolta. O grupo viajou o Brasil com o projeto “Trampa Sinfônico” (cujo show era acompanhado por orquestra) e já participou de festivais renomados no país e no exterior, como “South by Southwest” (EUA). Na discografia, conta com três trabalhos: “Te presenteio com a fúria” (2007), “Causa e efeito” (2014) e o novo “Viva la evolución!” (2016). Participa do Porão do Rock pela quinta vez (2009, 2010, 2012 e 2014).

Mais informações: www.trampa.com.br

 

VOODOOPRIEST (SP)

Vocalista de destaque no metal brasileiro, cuja marca registrada são as variações entre grave, médio e agudo, Vitor Rodrigues deixou o Torture Squad em 2012, depois de 19 anos, e deu início a uma nova banda, a Voodoopriest – cuja formação conta ainda com os guitarristas César Covero (Endrah e ex-Nervochaos) e Renato De Luccas (Exhortation), o baixista Bruno Pompeo (Aggression Tales e ex-CPM 22) e o baterista Edu Nicolini (ex-Nitrominds e Musica Diablo). O EP de estreia (batizado com o nome do grupo) saiu em 2013 e chamou a atenção de público e mídia especializada por conta da leitura moderna do heavy tradicional com elementos thrash e death. Em 2014, o quinteto lançou seu primeiro álbum, “Mandu”, cujas letras contam a história de Mandu Ladino, índio que liderou a união de tribos locais e resistiu até a morte contra a invasão de terras e o extermínio dos povos indígenas na região do estado do Piauí no século XVIII. O disco confirmou as expectativas e ajudou a firmar o grupo como uma das atuais potências do metal nacional. Toca pela primeira vez no Porão do Rock.

Mais informações: www.voodoopriest.com.br

 

WORST (SP)

Criado em 2012 por dois bateristas, Fernando Schaefer e Thiago Monstrinho, o Worst veio para criar da “pior” maneira e mais politicamente incorreta, uma retorcida na cena do som pesado no Brasil. Letras ácidas e polêmicas em português fazem essa banda paulistana de hardcore ser uma das mais odiadas, mas também amada por aqueles que a defendem até o fim. São três álbuns – dois lançados pela Against Records no Brasil e pela To The Point Records nos Estados Unidos e um EP/split com a banda australiana Rust Proof –, nove videoclipes oficiais, alguns com mais de 400 mil views no maior canal de hardcore do mundo, o “Hardcore Worldwide Channel”. Foi convidado a fazer parte do volume 1 da primeira coletânea do canal, sendo a única banda brasileira a realizar tal feito. Além de Fernando Schaefer (bateria) e Thiago Monstrinho (voz), o quarteto também é composto por músicos profissionais como Tiago Hospede (guitarra) e Ricardo Brigas (baixo). Em novembro de 2015 lançou o terceiro álbum, “Instinto Ruim”, fazendo uma crítica ácida à cultura brasileira. E em 2016 lançou o EP/split “Violent Assault from the Southern Sphere”, com duas músicas em inglês, e realizou uma bem-sucedida turnê pela Europa em junho. Toca pela primeira vez no Porão do Rock.

Mais informações: www.worsthcsp.com

 

ZAMASTER (DF)

No ano em que completa duas décadas de rock, o quinteto brasiliense Zamaster retorna aos palcos depois de um período de “ressaca”. Formado por Márcio Cokin (voz), Iuri S. (baixo), Mr. Rod (bateria), Diogo Mutti e Guilherme Negrão (guitarras), o Zamaster pratica um rock’n’roll que passa pelo hard rock e pelo punk, com letras críticas e sarcásticas abordando os vícios da vida, os romances perdidos, as esperanças descumpridas e os desvios sociais cotidianos. Já se apresentou em diversos palcos do Distrito Federal. Em 2001, lançou o disco de estreia, que leva o nome da banda, e contém os hits locais “Cerveja e beck” e “Pega pra capá”. Em 2006 foi lançado o segundo CD, “A Kbça é boa, os pensamento é que atrapalham”. “Pátria amada” é o nome do novo single que marca a volta do Zamaster à ativa. Uma das bandas fundadoras do Porão do Rock, apresenta-se no festival pela oitava vez.

Mais informações: www.zamaster.com.br

 

ZUMBIS DO ESPAÇO (SP)

Em suas músicas, a banda paulista Zumbis do Espaço combina punk rock, metal, country e rockabilly com letras influenciada por filmes, quadrinhos e literatura de terror. Na ativa há 20 anos, o grupo lançou em 2016 seu oitavo disco, “Em uma missão de Satanás”, em formatos CD e vinil, com capa assinada pelo americano Ed Repka, responsável por ilustrar discos de Circle Jerks, Megadeth, NOFX, Nuclear Assault e Venom, entre outros. “Esse novo álbum traz o som clássico do Zumbis, um material muito forte e poderoso, que tem tudo para figurar ao lado de nossos melhores discos, como os clássicos “Abominável Mundo Monstro” (1999), “Aberrações que somos” (2002) ou “Destructus Maximus” (2009)”, comenta o vocalista Tor, que diz não ter nenhuma expectativa a não ser continuar fazendo música visceral e relevante – ou, como ele prefere resumir, “só chutar mais algumas bundas por ai”. Além de Tor, fazem parte da banda o baixista Gargoyle, o guitarrista Manialcool e o baterista Zumbilly. Apresenta-se pela primeira vez no Porão do Rock.

Mais informações: www.facebook.com/zumbisdoespaco

Comments

comments

Loading...