Zander retorna a Brasília para lançar ‘Flamboyant’. Confira entrevista exclusiva com Gabriel Zander

por Leonardo Machado 131 views0

Grupo se apresenta no Círculo Operário. Vocalista diz que “as pessoas se identificam com a verdade e situações das letras da banda”.

Após três anos, os cariocas do Zander voltam a tocar em Brasília. O reencontro com a cidade será no sábado, 18 de fevereiro, no Círculo Operário do Cruzeiro, a partir das 19h.

Além da Zander, uma das bandas mais influentes do rock independente do País, o evento terá a participação das bandas locais Dias, que fará show de reunião, ADI, com o lançamento do EP “Sobre os dias que não vão voltar” e Nada em Vão.

O Zander também vai lançar material no show. Na ocasião, tocará inéditas do CD “Flamboyant”, o segundo full da banda, depois do elogiado Brasa, de 2010.

O álbum foi lançado em 2016 e tem a cara da atual formação da banda, gravado com Gabriel Zander (guitarra e voz), Gabriel Arbex (guitarra), Marcelo Cunha (baixo e voz) e Bruno Bade (bateria).

Formado no Rio de Janeiro em 2008, o quarteto Zander tem como palavras de ordem: “arregaçar as mangas”, até por isso eles mesmo gravam e produzem seus sons.

A data será especial também para a Acetona Produções, que está completando cinco anos de atividades. O primeiro show ocorreu justamente no Círculo Operário, com o Zander, em 2012. De lá para cá, a produtora trabalhou com bandas como Scalene, Far From Alaska, Sugar Kane, Bullet Bane e atualmente realiza o projeto gratuito A Fantástica Fábrica de Bandas, quinzenalmente, no Club 904 (904 Sul).

Confira entrevista exclusiva com o vocalista Gabriel Zander (Bill) feita por Ian Ferraz:

Está chegando o dia. Como está a expectativa para o show em Brasília?

A melhor possível. Sempre fomos muito bem recebidos aí e agora com esse disco novo estamos muito empolgados em tocar o novo repertório ao vivo.

Esperamos que a rapaziada em Brasília já esteja com os sons novos na ponta da língua para cantar, participar, se divertir e trocar energia com a gente.

Se possível, levar aquele troquinho a mais para pegar o CD e o nosso novo merch, e nos ajudar a continuar por mais tempo na estrada tocando e fazendo o que amamos fazer.

 

Como está a chama do rock independente para vocês? Como classifica o momento da banda e quais os planos para 2017?

Estamos na pilha total com o lançamento do novo álbum e com certeza com a chama bem acesa, sim, em brasa. Acho que estamos num momento de pés no chão e harmonia, sem muitas expectativas para o futuro e aproveitando ao máximo o presente.

É continuar tocando independentemente da crise e do menor público. (Fazer shows) para aqueles que querem nos ver tocar e também em oportunidades para outros públicos que ainda não tiveram contato com o nosso som e a nossa mensagem.

 

O Flamboyant surgiu fruto de um trabalho de imersão da banda,  perto da praia e fora de um ambiente agitado da cidade. O quanto isso refletiu nas músicas e letras?

É um disco para cima, feito num clima de camaradagem e família. De muita troca entre nós e pessoas que amamos e estavam acompanhando todo o processo e contribuíram também para a vibe.

Sobre as letras, são sempre sobre o meu momento, coisas que estou enfrentando, vivendo, aprendendo ou apenas observando e me inspiram a escrever.

Não existe nem nunca existiu um tema diferente em relação às letras justamente porque não é algo que eu controlo muito. Depende 100% do momento atual, praticamente do dia em que estou escrevendo.

 

Ainda sobre as letras. Os fãs costumam se identificar com as situações cotidianas que as letras da banda transmitem. É mais fácil falar do simples, daquilo que nos toca no dia a dia?

As pessoas se identificam com a verdade. Todo mundo vive e passa por situações semelhantes em termos de medos, dúvidas, anseios, vontade, determinação…

E mesmo uma realidade diferente pode te fazer ter sentimentos parecidos em relação a vida, a como nos relacionamos com o mundo, com as coisas e com as outras pessoas. Todos enfrentamos nossas pequenas ou grandes batalhas internas todos os dias.

O evento

Zander em Brasília – Acetona 5 anos

Serviço

Zander em Brasília – Acetona 5 anos

Onde: Círculo Operário do Cruzeiro (SRES Área Especial Bloco H, 9 – Cruzeiro Velho)
Quando: 18 de fevereiro, a partir das 19h
Quanto: R$ 20 antecipado e R$ 30 na hora
Pontos de venda: Over Street (Conic e Gilberto Salomão), Sphynx Tattoo & Piercing (315 Norte, Bloco D, loja 60), Rose Tattoo (CLS 403 Bloco B Loja 12) e O Carcará Hamburgueria (QSA 11, CASA 10 – Taguatinga).
Venda online: Sympla (https://goo.gl/nUE4Qg).

Comments

comments

Loading...